Dendera

Templo de Dendera e sua área circundante

Embora não seja o mais antigo que você pode visitar no Egito, o templo de Dendera é considerado por muitos como um dos mais belos. É um daqueles lugares onde o viajante consegue imaginar a grandiosidade daquela civilização e o nível de perfeição em cada detalhe: desde a decoração hieroglífica até a precisão astronômica que ele demonstra.

A Egipto Exclusivo é responsável por organizar excursões ao templo de Dendera e à área que o envolve, com um guia especializado e transporte privado altamente confiável. No entanto, as informações que fornecemos nas próximas linhas servirão para aguçar seu interesse e entrar em contato com um daqueles monumentos que ficam gravados na memória de quem os vê. Não perca nenhum detalhe e entre em contato conosco se precisar de ajuda com sua viagem!

Índice

Onde fica o Templo de Dendera

O Templo de Dendera está localizado no Alto Egito, mais precisamente ao sul da região frequentemente conhecida como Egito Médio: uma vasta área do Vale do Nilo que se estende de Al Minia a Qena, aproximadamente. De fato, a localização exata do complexo fica nos arredores de Qena, a apenas 5 km a oeste desta cidade e a cerca de 4 km da atual vila de Dandarah, que lhe dá nome. Outros lugares próximos que podem servir como referência são Luxor, a cerca de 60 km ao sul, e Abydos, a cerca de 90 km a oeste.

Assim como em muitos outros lugares do Egito Médio, a localidade de Dandarah depende economicamente de duas fontes principais: a agricultura ao longo do Vale do Nilo (que aqui faz uma grande curva) e o turismo, centrado no Templo de Dendera.

localização do templo de dendera

Um Pouco de História sobre o Templo de Dendera

Embora o Templo de Dendera seja o elemento mais famoso, na realidade Dendera foi uma cidade de importância local no Antigo Egito, sendo a capital do nomo VI do Alto Egito. Neste local, havia diferentes santuários dedicados à deusa Hathor, com origens no Império Antigo, há mais de 2.000 anos a.C. Esta divindade era muito reverenciada naquela civilização por ser a protetora do amor e da maternidade, entre outras questões, e era a mãe de Hórus, o deus celeste na religião egípcia.

No entanto, o Templo de Dendera e o restante recinto que podemos visitar hoje em dia são bem mais ‘recentes’. E colocamos ‘recentes’ entre aspas porque isso é apenas em comparação com outros templos do Antigo Egito, sendo muito mais antigo do que a maioria dos monumentos que podem ser visitados no Ocidente.

O período em questão é o período greco-romano, mais especificamente entre 125 a.C e 60 d.C, embora os principais trabalhos tenham começado com Nectanebo I (Dinastia XXX). Os governantes gregos e romanos, para legitimarem seu poder e conquistarem o apoio da população, não apenas aceitaram o culto religioso egípcio, mas também o promoveram com determinação.

Este é um dos melhores exemplos. Provavelmente, seus principais impulsionadores foram Ptolomeu XII e Cleópatra VII. E, na verdade, há referências a esta famosa rainha da dinastia ptolemaica, assim como a seu filho Cesarião, cujo pai era Júlio César. Também há alusões a Tibério, outro dos impulsionadores do Templo de Dendera posteriormente, que é representado em uma atitude ofertante na decoração interior.

Por isso, há quem considere que o Templo de Dendera é uma imitação do estilo do Antigo Egito, mas a verdade é que o nível de qualidade e perfeição nos detalhes torna isso pouco relevante. E isso também era o pensamento dos egípcios que aproveitavam este local enquanto ele estava em uso, pois aqui eram realizados alguns rituais em grande escala. Por exemplo, o desfile fluvial que era liderado pela estátua da deusa Hathor em seu barco, para se encontrar com seu filho e posteriormente parceiro Hórus, em seu templo em Edfu, rio Nilo abaixo.

Além deste desfile fluvial, cujas festividades poderiam se estender por vários dias, o Templo de Dendera era o destino final da peregrinação de muitos fiéis, especialmente mulheres que invocavam Hathor por seus poderes maternais, e doentes, pois acreditavam que ela também tinha poderes de cura.

Porém, o templo sofreu com os fiéis do cristianismo copta, que se voltaram contra a deusa Hathor, danificando seu rosto esculpido nos capitéis das colunas. No entanto, além desses episódios, o Templo de Dendera entrou em um longo período de hibernação: o lodo das cheias do Nilo e a areia do deserto sepultaram sua estrutura, evitando seu desmantelamento e favorecendo seu excelente estado de conservação.

E assim permaneceu até a chegada das tropas napoleônicas ao país e os subsequentes exploradores-caçadores de tesouros, no final do século XVIII e início do século XIX, que não hesitaram em levar peças importantes do Templo de Dendera. Especialmente o famoso zodíaco, hoje em exposição no Museu do Louvre, um elemento cheio de mistério que contribuiu para a fama deste monumento.

O que ver no templo de Dendera

O que Ver: o Templo de Dendera e Outras Estruturas do Recinto

O recinto religioso de Dendera é, atualmente, um grande museu ao ar livre. Este parque arqueológico tem o atrativo de sua ótima conservação atual, o que permite apreciar algo difícil de ver em outros templos do Antigo Egito: a colorida decoração original. Tetos, colunas e paredes, entre outros elementos, são preenchidos com cromatismo, transportando o visitante para uma época passada e fascinante.

No recinto, há lugares que podem atrair a sua atenção. O mais importante é o Templo de Dendera, propriamente dito. E os outros são o Iseu e o mammisi da época romana. A seguir, vamos detalhar essas estruturas.

Chefe de Hathor em Dendera
Chefe de Hathor em Dendera

Templo de Dendera ou de Hathor: Explorando a Grandeza Arquitetônica

O Templo de Dendera é o verdadeiro epicentro da visita. Também conhecido como Templo de Hathor, em homenagem a esta divindade, pode ser explorado em detalhes em seu interior. Como os pilones de entrada não foram preservados, o visitante entra diretamente na sala hipóstila, onde este edifício religioso revela toda a sua espetacularidade desde o início. São 24 colunas de cerca de 15 metros de altura com capitéis hathóricos: cada um dos quatro lados possui esculpido o rosto da deusa com orelhas de vaca.

O Templo de Dendera, de planta simples, possui outros espaços, como a Sala das Aparições, onde a estátua da deusa Hathor fazia sua aparição durante as celebrações religiosas correspondentes. Ou o santuário, acessível apenas pelos sumos sacerdotes e pelo faraó. Neste santuário, a estátua era guardada junto com a sua barca cerimonial, utilizada em sua procissão fluvial para Edfu.

O templo de Dendera é composto por inúmeros espaços e elementos, com vários santuários dedicados a outras divindades, como Rá, Hórus ou Sokar. Também incluía vários salões, pátios e corredores.

Através de uma escadaria, é possível acessar o telhado do templo de Dendera, onde há duas capelas. No teto de uma delas estava o famoso Zodíaco de Dendera, retirado de seu local original por uma expedição francesa no início do século XX.

Tudo isso era cercado por um muro, que se encontra em ruínas, mas nos permite compreender sua altura e a extensão total do conjunto. Este muro contava com portões monumentais, e os que foram preservados são os de Domiciano e Trajano, imperadores romanos durante cujo período foram construídos.

Iseu

Este é um templo dedicado ao nascimento de Ísis, outra deusa fundamental na religião egípcia, que durante a época de esplendor do templo de Dendera já havia assumido traços e atributos de Hathor. No entanto, é uma das estruturas que se encontra em pior estado de conservação atualmente.

Mammisis e Igreja Copta

Mammisis e Igreja Copta

Os mammisis eram casas do nascimento divino que tinham como objetivo exaltar trilogias de deuses (pai, mãe e filho), o que também foi interpretado como uma forma de afirmação do poder do faraó. Esta é uma tipologia construtiva que surgiu no final do Período Tardio ou Baixa Época, e em Dendera encontra-se o que é considerado o mais antigo: o de Nectanebo I.

Durante o período greco-romano, eles se popularizaram muito, e aqui também podemos apreciar o mammisi romano: outro pequeno templo similar, desta vez dedicado a Harsomtus (filho de Hathor e Hórus), construído no século I d.C. ou II d.C., embora não esteja claro se nos tempos de Augusto, Nero ou Trajano.

Finalmente, também podem ser identificados os restos de uma basílica cristã do século V, localizada perto do mammisi romano. Este é um bom exemplo das primeiras igrejas coptas.

O Templo de Dendera: Astronomia e Mistério

Não há dúvida de que a fama do Templo de Dendera deve-se, em grande parte, a alguns elementos fascinantes e enigmáticos, envoltos em certo mistério de acordo com algumas interpretações. O mais importante é a sua relação com a astronomia, demonstrando o enorme conhecimento que se tinha sobre essa disciplina naquela época.

Isso é evidenciado pela própria localização do Templo de Dendera, que não foi casual. Segundo se acredita, o seu eixo principal, com a sua porta correspondente, foi intencionalmente orientado para o norte, ou seja, para a estrela Thuban, que indicava esse ponto cardeal naquele momento. A segunda porta principal, por sua vez, estaria orientada para a estrela Sírius, identificada com a deusa Ísis, que estava em grande medida associada à deusa Hathor.

Esta estrela aparecia exatamente no solstício de verão, que era também o momento em que começava a enchente do Nilo, ansiada a cada ano pela população egípcia. E o período do ano em que Sírius permanecia oculta no céu era interpretado como a jornada de Ísis e seu esposo Osíris pelo submundo (Duat).

Dendera Zodíaco

O Zodíaco de Dendera

A cuidadosa orientação do Templo de Dendera não é a única ligação deste local com a astronomia. Pelo contrário, a sua grande fama é atribuída ao Zodíaco de Dendera, um baixo-relevo que estava no teto de uma das câmaras do templo. Embora o original esteja no Museu do Louvre, em Paris, atualmente foi colocada uma réplica aqui que permite ao visitante compreender o seu significado.

Este zodíaco é um mapa das estrelas em formato circular, algo totalmente inovador até então. A abóbada celeste é sustentada por quatro pilares em forma de mulher e, no interior do círculo, estão as 12 constelações zodiacais. Algumas são representadas de forma habitual, enquanto outras, de maneira egípcia, associadas a divindades locais.

Mas o que mais tem fascinado os estudiosos desde a sua descoberta é que inclui a menção a dois eclipses: um lunar, ocorrido em 52 a.C., e outro solar, em 51 a.C., usando para isso a simbologia própria do Antigo Egito. Isso ajudou a aprimorar as fases de construção do Templo de Dendera.

Candeeiros Dendera

As lâmpadas de Dendera

Outra teoria amplamente difundida sobre o Templo de Dendera é a das supostas ‘lâmpadas’. Cabe destacar que no projeto de construção deve ter havido um estudo cuidadoso da iluminação interior do templo, como em praticamente todos os templos do Antigo Egito. Como resultado desse estudo, a luz natural penetrava em momentos específicos e iluminava espaços específicos do templo, sem prejuízo de outros métodos de iluminação com lâmpadas, embora isso ainda não tenha consenso.

No entanto, relevos no Templo de Dendera deram origem a uma teoria onde a fantasia e o mistério tentam se mesclar com a ciência. Alguns veem neles a representação de lâmpadas primitivas, o que explicaria, nesse ponto de vista, que os antigos egípcios conheciam eletricidade.

Os egiptólogos, por outro lado, refutam essa teoria singular, indicando que se trata de flores de lótus das quais serpentes emergem, representando Sema-tauy, símbolo unificador do Alto e Baixo Egito, tudo isso apoiado em pilares Dyed, que simbolizam por sua vez a estabilidade do reino.

Como Chegar ao Templo de Dendera

Como mencionamos anteriormente, o Templo de Dendera está localizado nos arredores de Qena, a cerca de 60 km ao norte de Luxor. Portanto, a forma mais simples e comum de chegar a esta última cidade é realizando um passeio a partir dessa cidade, que possui seu próprio aeroporto internacional.

Outra opção é incluir o Templo de Dendera como parada em um amplo cruzeiro pelo Nilo, vindo do Cairo ou de outros pontos do Egito Médio. O trem e o ônibus, por outro lado, não são opções para chegar diretamente a este local, pois não possuem paradas para isso.

Mas a opção mais conveniente, comum e viável é o veículo privado com motorista. Isso aproxima o Templo de Dendera de muitos turistas no Egito, tanto aqueles que escolhem Luxor como destino principal quanto aqueles que optam por um destino de férias no Mar Vermelho. Nesse sentido, uma viagem de estrada de Safaga leva cerca de duas horas (160 km), de Hurghada leva duas horas e meia (220 km) e de Marsa Alam leva quatro horas (360 km). Portanto, é uma das excursões favoritas para aqueles que passam suas férias no país, que também pode ser combinada com a visita ao Templo de Abydos, a cerca de 90 km de distância.

Independentemente da sua opção ideal, recomendamos que você confie em uma agência especializada como a Egipto Exclusivo, onde podemos planejar uma viagem personalizada, com os principais serviços inclusos: transporte privado, acomodação, guias oficiais para visitar o Templo de Dendera, entre outros. Entre em contato conosco e desfrute de uma experiência única!

Planear a sua viagem para Dendera

Desfrutar de experiências
Desfrutar de experiências
Alterar a sua moeda (apenas em Espanha)
Alterar a sua moeda (apenas em Espanha)
Vuelos muy baratos Dendera
Voos muito baratos
Alugar o seu automóvel
Alugar o seu automóvel
Inscrição para Wifi ou telefone
Inscrição para Wifi ou telefone

Também pode estar interessado em